Archiprix Portugal
Portugues English
ÍNDICE PROJETO
NOMEADO
ALBERGUE CAYO CARPO E CAPELA SÃO TIAGO MAIOR
Escola Superior Artística do Porto

Prop. de Interv. no Caminho de Santiago na Cidade de Matosinhos
O projecto é inserido na cidade de Matosinhos para acolher peregrinos dos Caminhos de Santiago de Compostela. Neste trajecto o percurso não tem outro local de abrigo ao longo de 15 km. Dados do posto de turismo apresentam um crescimento exponencial de caminhantes registados entre 2012 e 2015, o que fundamenta a intervenção pela elevada procura.
O local escolhido é na Av. Eng. Duarte Pacheco dentro do traçado do Caminho da Orla Atlântica. Beneficia de exposição intensa à luz solar e proximidade do mar.
Consiste em dois corpos, Albergue e Capela, ligados por uma galeria. Erguem-se com diferentes alturas em contraste com a envolvente urbana em baixa cércea onde prevalece a degradação de edifícios. O Campanário, sinaliza a sua existência desde o eixo secundário.
O Albergue aponta para uma experiência que convoca os sentidos em constante manipulação na relação entre aspectos práticos e o modelo conceptual na medida em que os apontamentos utilizados na edificação são indiciadores simbólicos dos Caminhos. A luz natural tem forte presença pelas clarabóias, janelas e paredes de vidro. As galerias e escadarias alinham percursos a vencer. No interior dos espaços opto pela economia de recursos, minimizando o preenchimento ao essencial. Dormitórios, sala de refeições, todos os elementos se abrem à fruição. É o sujeito que o suscita.
Na Capela um espaço central insinua-se como altar conferindo-lhe identidade. Cria-se a sensação de acolhimento universal pela ausência de elementos religiosos, convocando a liberdade de credos. O espaço interior exibe pé direito elevado e pouca luz natural. Sombra e silêncio apelam à serenidade.
Com estas características, o Albergue e Capela tornam-se numa nova etapa dos Caminhos de Santiago. A exploração e movimento continuam presentes ainda que no interior de um espaço, revisitando a experiência de Caminho. Para além de local de repouso e acolhimento pretende-se concretizar a vivência da intuição e atmosfera que caracterizam as rotas da peregrinação.