Archiprix Portugal
Portugues English

Fotomontagem da vista da Gare do Ocidente a partir da Doca de Santo Amaro
Fotomontagem da vista da Gare do Ocidente a partir da Doca de Santo Amaro

Fotomontagem panorâmica de implantação da Gare do Ocidente na ponte sobre o tejo, em Alcântara, e planta de localização da proposta no conjunto de pontos chave do aterro de Lisboa
Fotomontagem panorâmica de implantação da Gare do Ocidente na ponte sobre o tejo, em Alcântara, e planta de localização da proposta no conjunto de pontos chave do aterro de Lisboa

Axonometria programática explodida com a relação entre os programas da mobilidade e os de usos mistos
Axonometria programática explodida com a relação entre os programas da mobilidade e os de usos mistos

Corte transversal pelos acessos verticais mecânicos
Corte transversal pelos acessos verticais mecânicos

Corte longitudinal pelos acessos verticais mecânicos, planta do piso subterrâneo comum às três torres com entrada para a plataforma de Alcântara-metro e desenhos de processo
Corte longitudinal pelos acessos verticais mecânicos, planta do piso subterrâneo comum às três torres com entrada para a plataforma de Alcântara-metro e desenhos de processo

Alçado Ocidental, planta tipo e fotomontagens conceptuais de processo
Alçado Ocidental, planta tipo e fotomontagens conceptuais de processo

Corte construtivo transversal à tipologia de quarto de hotel, corte construtivo longitudinal ao espaço comum de circulação na Torre dos Acessos
Corte construtivo transversal à tipologia de quarto de hotel, corte construtivo longitudinal ao espaço comum de circulação na Torre dos Acessos

Montagem de desenhos de processo criativo em formato digital e maquetes de processo
Montagem de desenhos de processo criativo em formato digital e maquetes de processo




ÍNDICE PROJETO
MENÇÃO HONROSA
METAMORFOSE SOBRE O TEJO: A GARE DO OCIDENTE EM ALCÂNTARA
Universidade de Lisboa -
Faculdade de Arquitectura

Em virtude do impacto fragmentado das infra-estruturas de Alcântara na mobilidade urbana de Lisboa, o interface da Gare do Ocidente é desenvolvido enquanto arquitectura dinamizadora da troca entre linhas e meios de transporte. Este elemento verticalizado, projectado para a zona ribeirinha, segue a linha de pensamento do grupo Archigram e age como um corpo parasítico alojado nos pilares de suporte do tabuleiro da ponte 25 de Abril. As plataformas: Alcântara-Ar, Alcântara-Mar e Alcântara-Metro são inseridas no sistema de transbordo entre as linhas do Sado, de Cascais e do Metropolitano, sendo o interface tanto um mecanismo de troca entre diferentes cotas como um híbrido concentrador de usos mistos. Este nó de transportes públicos celebra a imponência e a presença histórica da Ponte 25 de Abril na cidade de Lisboa e introduz novos espaços de miradouro com vistas sobre a cidade e o estuário. A consolidação do tecido urbano através da estruturação dos meios de transportes dispersos, impulsiona a recentralização de Alcântara num cenário privilegiado de proximidade com o rio.