Archiprix Portugal
Portugues English

Planta geral Percurso do centro histórico de Évora ao Bairro da Malagueira
Planta geral Percurso do centro histórico de Évora ao Bairro da Malagueira

Maquete do percurso O percurso é continuo, através de diferentes tipos de vegetação e de espaços verdes. Desde o jardim Municipal a uma cota superior, um espaço horticula , passando pela mata de S.Sebastião situado novamente num ponto mais alto da cidade e finalmente ao jardim da Malagueira.
Maquete do percurso O percurso é continuo, através de diferentes tipos de vegetação e de espaços verdes. Desde o jardim Municipal a uma cota superior, um espaço horticula , passando pela mata de S.Sebastião situado novamente num ponto mais alto da cidade e finalmente ao jardim da Malagueira.

Axonometria do conjunto A premissa estabelecida é a transformação deste local marcada pelo parcelamento ajustado ao uso agrícola já existente, numa construção que conceptualmente respeita esse padrão. A estrutura hidráulica que compartimenta estes espaços, são elevados transformando-se em paredes que albergam todo o programa e estruturam todo o conjunto. Estes muros como unidade parcelar definem a funcionalidade dos diferentes espaços e criam diversos momentos no percurso.
Axonometria do conjunto A premissa estabelecida é a transformação deste local marcada pelo parcelamento ajustado ao uso agrícola já existente, numa construção que conceptualmente respeita esse padrão. A estrutura hidráulica que compartimenta estes espaços, são elevados transformando-se em paredes que albergam todo o programa e estruturam todo o conjunto. Estes muros como unidade parcelar definem a funcionalidade dos diferentes espaços e criam diversos momentos no percurso.

Fotografia da cobertura e do interior da maquete relação entre dois tipos de culturas
Fotografia da cobertura e do interior da maquete relação entre dois tipos de culturas



fotomontagem da cobertura A cobertura representa um platô de diferentes tons e aromas que se alteram ao longo do tempo
fotomontagem da cobertura A cobertura representa um platô de diferentes tons e aromas que se alteram ao longo do tempo





ÍNDICE PROJETO
MENÇÃO HONROSA
PAISAGEM CONSTRUÍDA
Universidade de Évora

Proposta de ligação pedonal entre o centro Histórico de Évora e o Bairro da Malagueira
Percurso pedonal de ligação entre o centro histórico da cidade de Évora e o Bairro da Malagueira. Pretende-se reflectir acerca da cidade de Évora e as ligações entre fragmentos na cidade. Espaços esquecidos que são devolvidos à cidade na sua forma de cultivo e de um modo cultural.
A ideia tem como base a interação entre o espaço rural e o espaço urbano entendido como um todo, uma paisagem que tire partido da qualidade de ambas e do seu planeamento em conjunto.

Com base na criação de um Continuum Naturale e Continuum Culturale, consiste em equilibrar estruturas ecológicas consistentes com a rede urbana de infraestruturas e com os espaços dedicados à agricultura transformados num tema cultural. Propõe-se, assim a interação de duas realidades que se encontram no duplo significado etimológico da palavra Cultura.

O projeto surge num local, fruto do desmembramento da cidade, lugar esquecido mas importante na sua relação de proximidade com a muralha e com uma das principais portas de entrada para a cidade actual. Este local entre muitos outros que abraçam a muralha, teria sido local de prática agrícola, onde ainda persistem alguns testemunhos dessa acção.

O lugar com características rurais, são reutilizadas e restabelecem-se novas regras em relação com o território, mantendo vivo o contacto do homem com a terra. A premissa estabelecida é a transformação deste lugar, marcado pelo parcelamento ajustado ao uso da prática agrícola já existente, num equipamento cultural que conceptualmente respeita esse padrão. A estrutura hidráulica que compartimenta esse espaço é elevado transformando-se em paredes que albergam todo o programa e estruturam todo o conjunto. Estes muros com uma estrutura parcelar definem a funcionalidade dos diferentes espaços e criam diversos momentos no percurso.

Todo o conjunto de espaços relativos ao programa exposto são desenhados mediante este padrão estipulado pelo próprio sitio. As coberturas surgem então como jardim de produção e de contemplação, apropriando-se de um novo solo. As linhas de rega transformadas em paredes, albergam as infraestruturas técnicas do interior do edifício e são coroadas por caleiras que distribuem e alimentam as hortas e cultivos na cobertura. Outros elementos vegetais fazem o acerto entre a paisagem rural e a paisagem urbana. As árvores de frutos, a sombra do espaço, a luz e os tanques de água são elementos que pontuam os espaços e possibilitam a continuidade do percurso, num platô de diferentes aromas e tonalidades na cobertura. O jardim agrícola altera-se conforme as mudanças sazonais e interage com a sua paisagem envolvente.

Assume a sua presença artificial de carácter abstracto, que respeita os valores culturais primários da horticultura, integrando-a num tempo actual e contemporâneo tornando este lugar numa Paisagem Construída.