Archiprix Portugal
Portugues English

A elevada disponibilidade de água na propriedade, uma das razões de escolha deste local para implantação do convento, reflete-se na quantidade de estruturas hidráulicas abandonadas e degradadas, dispersas pelo espaço. A componente produtiva nestes terrenos é antiga e a sua vocação para este fim é clara. Existem ainda na propriedade três parcelas de olival compostas por exemplares arbóreos saudáveis e valiosos. As inúmeras estruturas religiosas, hidráulicas e outras pré-existências, atualmente desaproveitadas, dão origem a um espaço repleto de simbolismos e significados.
A elevada disponibilidade de água na propriedade, uma das razões de escolha deste local para implantação do convento, reflete-se na quantidade de estruturas hidráulicas abandonadas e degradadas, dispersas pelo espaço. A componente produtiva nestes terrenos é antiga e a sua vocação para este fim é clara. Existem ainda na propriedade três parcelas de olival compostas por exemplares arbóreos saudáveis e valiosos. As inúmeras estruturas religiosas, hidráulicas e outras pré-existências, atualmente desaproveitadas, dão origem a um espaço repleto de simbolismos e significados.

A intervenção na propriedade, visa então a sua transformação num espaço dedicado ao Enoturismo, onde a componente produtiva terá o papel principal. No entanto, esta componente será complementada por soluções de projeto capazes de aliar a visita e a estadia no próprio espaço. Em consequência das linhas orientadoras destaca-se a manutenção dos olivais pré-existentes e da sua métrica de plantação. Para as grandes parcelas de prado espontâneo prevê-se a plantação de 12 hectares de vinha. Entre os dois Olivais e o Convento será dedicada uma área exclusiva para a componente recreativa, o Jardim de Recreio, ponto de partida para as visitas à propriedade.
A intervenção na propriedade, visa então a sua transformação num espaço dedicado ao Enoturismo, onde a componente produtiva terá o papel principal. No entanto, esta componente será complementada por soluções de projeto capazes de aliar a visita e a estadia no próprio espaço. Em consequência das linhas orientadoras destaca-se a manutenção dos olivais pré-existentes e da sua métrica de plantação. Para as grandes parcelas de prado espontâneo prevê-se a plantação de 12 hectares de vinha. Entre os dois Olivais e o Convento será dedicada uma área exclusiva para a componente recreativa, o Jardim de Recreio, ponto de partida para as visitas à propriedade.

Numa região caracterizada pelo clima quente e seco e numa propriedade onde o programa de intervenção se reflete em elevadas necessidades de água para a rega, uma das linhas orientadoras da proposta visa a adoção de soluções de projeto que otimizem a gestão da água disponível. O primeiro exemplo desta abordagem expressa-se no desenho da alameda de entrada, mas também de outros caminhos, cujas pendentes visam direcionar as águas superficiais para pontos estratégicos, como por exemplo a charca localizada no referido Jardim de Recreio.
Numa região caracterizada pelo clima quente e seco e numa propriedade onde o programa de intervenção se reflete em elevadas necessidades de água para a rega, uma das linhas orientadoras da proposta visa a adoção de soluções de projeto que otimizem a gestão da água disponível. O primeiro exemplo desta abordagem expressa-se no desenho da alameda de entrada, mas também de outros caminhos, cujas pendentes visam direcionar as águas superficiais para pontos estratégicos, como por exemplo a charca localizada no referido Jardim de Recreio.

Na envolvente do convento, que será recuperado no sentido de o aproximar das suas características originais, adaptando-o aos novos usos, surgirá um Jardim de Recreio desenhado por percursos de água onde o aproveitamento das águas da chuva se articulará com as fontes e nascentes existentes, procurando uma linguagem comum. É também a partir deste local que partem várias opções de percursos, que se desenvolvem ao longo da propriedade, permitindo a fusão entre a componente recreativa e a produtiva.
Na envolvente do convento, que será recuperado no sentido de o aproximar das suas características originais, adaptando-o aos novos usos, surgirá um Jardim de Recreio desenhado por percursos de água onde o aproveitamento das águas da chuva se articulará com as fontes e nascentes existentes, procurando uma linguagem comum. É também a partir deste local que partem várias opções de percursos, que se desenvolvem ao longo da propriedade, permitindo a fusão entre a componente recreativa e a produtiva.

As técnicas propostas de recolha e aumento da permanência da água no terreno, procuram dotar o espaço de melhores condições bioclimáticas, permitindo a criação de percursos que se estendem por toda a propriedade. O maior percurso permite a passagem pelos principais acontecimentos e apresenta cerca de 2km de extensão, ao acompanhar a periferia da propriedade. Pontualmente, surgem percursos alternativos, nomeadamente ao longo das linhas de água onde se propõe a plantação de galerias ripícolas. Estes espaços promovem a criação de áreas frescas de estadia, ideais para a realização de paragens durante as visitas à propriedade, em pleno ambiente agrícola.
As técnicas propostas de recolha e aumento da permanência da água no terreno, procuram dotar o espaço de melhores condições bioclimáticas, permitindo a criação de percursos que se estendem por toda a propriedade. O maior percurso permite a passagem pelos principais acontecimentos e apresenta cerca de 2km de extensão, ao acompanhar a periferia da propriedade. Pontualmente, surgem percursos alternativos, nomeadamente ao longo das linhas de água onde se propõe a plantação de galerias ripícolas. Estes espaços promovem a criação de áreas frescas de estadia, ideais para a realização de paragens durante as visitas à propriedade, em pleno ambiente agrícola.




ÍNDICE PROJETO
NOMEADO
PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PARA O MONTE DO CONVENTO
Universidade do Porto

Através do presente trabalho procurou-se elaborar uma proposta para o “Monte do Convento”, em Alvito. Esta propriedade tem a particularidade de acolher um convento franciscano.
Pretende-se a sua transformação num espaço de produção vinícola capaz de receber público e realizar eventos, principalmente relacionados com o Enoturismo.
Numa região caracterizada pelo clima quente e seco e numa propriedade onde o programa de intervenção se reflete em elevadas necessidades de água para a rega, uma das linhas orientadoras da proposta visa a adoção de soluções de projeto que otimizem a gestão da água disponível. Procurou-se também aliar a componente produtiva à recreativa, tirando partido dos elementos pré-existentes para este efeito. As soluções de projeto utilizadas, tanto ao nível construtivo como do uso da vegetação, pretendem atingir uma proposta inspirada na imagem da paisagem alentejana, procurando também recuperar o valor que a propriedade terá tido em tempos de anteriores ocupações.