Archiprix Portugal
Portugues English

Regulamento

Poderá consultar o regulamento em pdf aqui.


Calendário

4 Novembro 2016 – Abertura das inscrições

30 Janeiro 2017 – Data limite para submissão de inscrições

Abril de 2017 - Anúncio de finalistas

Maio de 2017 - Cerimónia de entrega de prémios


Inscrição

1. Preencher a Declaração de Elegibilidade.

2. Preencher o Formulário de Inscrição, anexar a Declaração de Elegibilidade e submeter. 

3. Aguardar pelo email de validação da inscrição para então submeter os Elementos a Concurso.


Perguntas frequentes

1. O que devo fazer depois de enviar o formulário de inscrição?

Depois de enviar o Formulário de Inscrição a sua inscrição é validada dentro de 48 horas. Se a inscrição for considerada válida recebe um email com informações para o envio do projeto. Se a inscrição não for considerada válida, recebe por email instruções no sentido de poder retificá-la.

2. Aguardei 48 horas pela validação da inscrição e não recebi um email com a validação da inscrição, o que devo fazer?

Se não recebeu o email com a validação da inscrição dentro de 48 horas verifique a sua pasta de Spam/Junk Mail ou contacte-nos enviando um email para info@archiprixportugal.org com o assunto "Aguardo validação da inscrição!". Entraremos em contacto consigo logo que possível.

3. Qual o critério de elegibilidade do Orientador?

O critério está explícito no regulamento, de qualquer forma importa referir que este ponto do regulamento sofreu alterações. Até à edição de 2016 o Professor Doutor que fazia a orientação do trabalho de fim de curso teria necessariamente que ser um dos proponentes da candidatura. Este critério permitia limitar a quantidade de candidaturas por instituição de ensino. Na corrente edição de 2017 o critério foi alterado e a limitação do número de candidaturas passou a ser feita únicamente por numerus clausus estabelecidos a partir dos dados públicos da DGES, o que originou uma Para isso foi publicada no regulamento uma tabela com o número máximo de candidaturas por Instituição de Ensino.

4. Desenvolvi e fiz a entrega do meu projecto em 2016 mas só vou fazer a defesa pública em 2017. Estou elegível para a participação na edição Archiprix Portugal 2017?

Não pois a data de conclusão do curso que constará no certificado de grau de mestre será de 2017, deverá concorrer à edição de 2018.

5. Em que consiste a primeira avaliação do Júri?

Trata-se duma primeira seriação dos trabalhos a concurso. Esta avaliação é concebida de forma que os concorrentes não incorram em custos (impressão de painéis, correio...) e que o Júri consiga avaliar com simplicidade e rigor uma grande quantidade de trabalhos. A avaliação é realizada individualmente por cada um dos elementos do Júri, em desconhecimento dos seus pares, durante o período de um mês. Para isso o Júri dispões de um .pdf em alta resolução com os trabalhos a concurso, e de um compêndio impresso em papel e enviado pela organização do concurso diretamente para cada um dos membros do Júri.

Na primeira avaliação dos trabalhos a síntese de conteúdos é muito importante para que o Júri consiga por um lado absorver a informação mais relevante e por outro ficar com uma boa impressão do âmbito do trabalho. Neste sentido o tamanho de letra deve ser tido em conta pois as fontes pequenas tem uma leitura difícil. Os gráficos com muito pormenor têm também uma leitura difícil. As ideias chave devem estar na memória descritiva para garantir que o Júri entra bem no projeto.

6. É possível introduzir melhorias ao trabalho?

É possível melhorar o trabalho para a avaliação final onde são admitidas maquetes e material audiovisual.

7. Como sei que sou finalista?

Em meados de Março será enviado um comunicado para cada um dos concorrentes anunciando a passagem (ou não) à fase de finalistas. Esse mesmo comunicado contém toda a informação relevante para a montagem dos painéis e maquetes, incluindo o pedido de conteúdos para comunicação mediática e publicação do anuário.

8. Na minha faculdade o trabalho de fim de curso é teórico. Como posso participar no Archiprix?

É do nosso conhecimento que os trabalhos de fim de curso em certas instituições de ensino consistem em períodos de estágio ou em dissertações estritamente teóricas, sem qualquer cariz projetual. Sendo a componente projetual uma condição obrigatória para a candidatura ao Archiprix, nestes casos em que o programa curricular do último ano de estudos não tem uma componente de projeto, aceitam-se a concurso os trabalhos realizados no ano imediatamente anterior (2015) desde que estes contenham a necessária componente gráfica e projetual, mesmo que em rigor esses trabalhos não sejam o "trabalho do fim de curso".

9- O que é o Conselho Consultivo Archiprix Portugal?

O Conselho Consultivo tem como funções o aconselhamento e a emissão de parecer sobre as questões colocadas pelo conselho executivo e o apoio em quaisquer outras questões que os seus membros entendam dever discutir e pronunciarem-se.
O Conselho Consultivo Archiprix Portugal 2017 é constituído por individualidades de reconhecido mérito e competência em ligação com cada um dos parceiros do Archiprix Portugal, nomeadamente:

  • Ana Tostões, Presidente Do.co.mo.mo. Internacional
  • Pedro Gadanho, Presidente Museu Arquitetura Arte e Tecnologia
  • Nuno Sampaio, Diretor Casa da Arquitetura
  • José Mateus, Presidente Trienal de Arquitetura de Lisboa
  • Henk Van der Veen, Diretor Archiprix Internacional
  • João Santa Rita, Presidente Ordem dos Arquitetos
  • Pedro Guimarães, Membro fundador da Associação dos Urbanistas Portugueses
  • Rita Pinto Coelho, Diretora Fundação Serra Henriques